Olimpíadas da educação

*Teresinha Machado da Silva

       Nós, da UPPES, estamos perplexos com o que está acontecendo com o Plano Municipal de Educação (PME) de Niterói, pois consideramos  que  este encontra-se na contramão dos verdadeiros valores que devem ser previstos pela educação pública no nosso país.

     A “ideologia de gênero” foi um tema muito debatido no PME, o qual não deveria nem estar presente neste Plano, uma vez que já foi suprimido do PNE, em razão da maior parte da população não concordar com o mesmo. Os pais têm o direito a que seus filhos recebam a educação moral que esteja de acordo com suas próprias convicções, esse direito é garantido expressamente pelo artigo 12 da Convenção Americana de Direitos Humanos (CADH), também conhecida como Pacto de São José da Costa Rica, assim como é garantido pela Constituição Federal.

     Não podemos, em hipótese alguma, compreender o posicionamento do prefeito de Niterói, uma vez que esse tema foi retirado do Plano pela maioria dos vereadores. Achamos um desrespeito à comunidade niteroiense, o prefeito insistir em um tema do qual a maioria discorda.

    Consideramos inapropriada a discussão de “Ideologia de Gênero”, no momento em que a educação do país passa por uma grande crise e necessita de tantas outras prioridades.

     A UPPES tem solicitado a valorização do magistério. O salário do professor deve ser equiparado ao salário de um Deputado e o prestígio, ao de um jogador de futebol. O professor deve estar no lugar mais alto do pódio, o qual  tem a função extraordinária de formar pessoas. Muitos acham que a função do professor é ensinar, mas este seria um conceito muito pequeno para uma função tão nobre. Na prática, vai muito além de ensinar, pois, desde a creche até o mestrado ou doutorado, o professor atua na formação como um todo do indivíduo e, ao lado da família, é o professor que exerce esta extraordinária função.

     O investimento na educação, em especial a básica, deveria ser uma prioridade da gestão pública, pois só teremos educação de qualidade com bons professores e, para isso, é preciso atrair para a carreira do magistério os melhores alunos egressos do Ensino Médio. O magistério precisa ter atratividade suficiente, pois concorre com outras carreiras mais rentáveis ou de mais prestígio.

     Outra questão que a UPPES tem pleiteado é a redução da carga horária do docente, de 40h para 30h semanais. O professor precisa se aperfeiçoar e estudar, mas para isso é necessário tempo, o que hoje é muito exíguo devido à alta carga horária de trabalho, a qual muitas vezes chega a 60 horas semanais.

     Além disso, temos ressaltado a importância da atividade física nas escolas, a qual é fundamental para o desenvolvimento físico e mental, além de auxiliar no desempenho escolar. Outros fatores que também contribuem para a aprendizagem são a música e as artes. A música é reconhecida por muitos pesquisadores como uma espécie de modalidade que desenvolve a mente humana, promove o equilíbrio, proporcionando um estado agradável de bem-estar, facilitando a concentração e o desenvolvimento do raciocínio. Já as artes proporcionam o  desenvolvimento da capacidade criadora através de um processo constante de desconstrução e construção das possibilidades da vida cotidiana.

      Nessa época de Olimpíadas, oferecer às crianças e aos jovens a oportunidade de praticarem regularmente um esporte coletivo, não somente auxilia no seu  desenvolvimento social, como prepara para o futuro, ensinando-os valores que serão importantes na sua vida adulta.

      Gostaríamos que o mesmo investimento realizado nas Olimpíadas fosse realizado na educação pública do nosso país, com o  mesmo empenho,  dedicação, esforço e carinho,pois só assim teremos as Olimpíadas da educação e, consequentemente, um país menos desigual!

Publicado em 2 de agosto de 2016 na coluna Sem Censura, do jornal Folha Dirigida.

0 tas

Comente aqui

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *