UPPE-Sindicato acompanha os desdobramentos educacionais da Rede Pública Estadual

Acompanhamos a LIVE, na qual se relata o quadro de defasagem em que se encontra o Sistema Público de Ensino do estado do Rio de Janeiro, herdeiro de gestões que não investiram na devida atualização da estrutura e da infraestrutura da Rede, bem como a progressiva desvalorização da carreira do Magistério, que afeta diretamente, não só a qualidade de vida desta classe profissional, como a limita no seu direito pessoal de investimento em capacitação.

A presente atuação da Seeduc em relação às propostas técnico-pedagógicas para enfrentar este período de Pandemia atestam esta situação e portanto, as dificuldades encontradas nas limitações que o sistema apresenta.

Não obstante, identificamos que a UPPE – Sindicato tem, permanentemente, cobrado das autoridades, ao longo das gestões públicas, que tal situação seja observada e que, efetivamente, as medidas sejam adotadas para a superação das limitações que se apresentam.

Diante do exposto, reforçamos nosso reconhecimento à valorosa classe do Magistério Público Estadual (da qual somos os representantes : docentes e especialistas em educação) que tem se mostrado, como sempre, colaboradora e capaz , mesmo frente a tantos desafios.

O importante é identificarmos que tal “quadro” reflete o fato que sempre pontuamos e cobramos dos governantes: EDUCAÇÃO PRECISA E DEVE SER ENCARADA COMO PRIORIDADE !

_____________________________________________________________________

Em debate promovido pelo deputado estadual Welberth Rezende, através de live no Facebook, na noite de quinta-feira (21/5) ,o secretário estadual de Educação, Pedro Fernandes, reafirmou a continuidade das políticas educacionais promovidas pela Secretaria de Estado de Educação (Seeduc), durante a pandemia do novo coranavírus (Covid-19). A live também contou com participação do secretário de governo de Niterói, Comte Bittencourt, ex-deputado que presidiu a Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

Durante o debate, o secretário estadual de Educação destacou, novamente, a continuidade e a atuação da Seeduc na plataforma de educação a distância (EAD) para a continuidade do ano letivo, na Rede Estadual de Ensino. O chefe da pasta descartou qualquer possibilidade de suspensão do ano letivo.

Outro ponto levantado por Pedro Fernandes, foi acerca da preocupação com os alunos do último ano do Ensino Médio. Segundo ele, esses estudantes terão prioridade no retorno às aulas. “Esses alunos estão se formando, farão Enem, precisam dessa formação para entrar no mercado de trabalho ou ingressar em uma faculdade”, afirmou.

Sobre o acesso à plataforma, de acordo com o secretário, em média, 85% dos alunos do ensino médio estão tendo acesso ao conteúdo digital. Contudo, segundo ele, a realidade muda nas séries de fundamental, chegando a uma média de 55% a 60% de acesso. Já entre os professores, a média é de 95% de acesso.

Chips de internet

O chefe da pasta ressaltou que houve licitação para a escolha da operadora, mas não houve um acordo entre o Governo do Estado e a empresa. No início das atividas EAD, foi anunciado que alunos e professores  receberiam um chip de internet para facilitar o acesso. Até o momento , não há nenhuma previsão de que o envio de chips acontecerá, de fato.

Ex-presidente da Comissão de Educação da Alerj descarta a necessidade de suspensão do ano letivo 

O secretário municipal de governo de Niterói, Comte Bittencourt, criticou a tentativa de suspensão de ano letivo na rede estadual. A seu ver, a pandemia é um desafio para a ciência e para a humanidade.  “Grande parte desse desafio é a questão do acesso (às plataformas de informação) ,que já deveria ter sido sanado pelo Estado”, frisou.

Para o ex-presidente da Comissão de Educação, atualmente, a sociedade possui uma escola do século XX com alunos do século XXI.  ” A BNCC (Base Nacional Comum Curricular) já estabelece a tecnologia como ferramenta fundamental para o desenvolvimento da Educação”, assinalou.

O ex-parlamentar criticou a tentativa de suspensão do ano letivo. “Como vai se negar a uma geração um ano de ensino. Essa é a realidade de muitos países desenvolvidos e subdesenvolvidos. Nenhum país suspendeu seu ano letivo por conta da pandemia”, afirnou.  Ele destacou a atuação dos professores, durante a pandemia. “Temos que aplaudir os educadores, pois estão se desdobrando. Alguns não tinham nenhuma experiência com essas ferramentas e hoje estão dando aulas remotas, se preparando para essa modalidade e se adaptando à  questão do conteúdo, metodologia e a dinâmica que são muito diferentes de uma aula presencial”, salientou.

Aposentado do Estado que não pegou informe de rendimentos pode ter acesso através do portal do Rioprevidência

Matéria publicada no site do Jornal Extra, em 20 de maio de 2020.

Rioprevidência disponibiliza o Informe de Rendimentos aos seus aposentados e pensionistas em seu portal na internet, no link https://www.rioprevidencia.rj.gov.br/PortalRP/Servicos/Contracheque/index.htm. É preciso estar logado com seu CPF e senha.

Caso a pessoa não tenha a senha ou se esqueceu, basta clicar em “esqueci a senha” que será enviado um acesso para criação de senha para o e-mail pessoal cadastrado.

Caso o usuário não tenha um e-mail cadastrado, deve entrar em contato com o serviço “Fale Conosco” (https://www.rioprevidencia.rj.gov.br/PortalRP/Contato/FaleConosco/index.htm) ou “Chat Online” (https://www.rioprevidencia.rj.gov.br/PortalRP/Contato/ChatOnline/index.htm) tendo em mãos o número, a data de expedição e o órgão expedidor do RG para validar e cadastrar um e-mail junto ao Rioprevidência. Será enviado um e-mail para criação de uma nova senha.

Fonte: Jornal Extra online/Coluna do Servidor.

Leia matéria completa clicando aqui

A Receita Federal estendeu o prazo da entrega da declaração do Imposto de Renda, até 30 de junho.

Prevenção Covid-19 – Suspensão do atendimento na Sede e Subsedes da UPPES

 

 

Governo do Estado Sanciona lei que autoriza reposição salarial dos servidores

O governador Wilson Witzel sancionou, em 13/04, a Lei nº 8793/20, de autoria da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), que autoriza o poder Executivo a realizar alterações no orçamento de 2020, que permitem a recomposição salarial dos servidores públicos. A publicação saiu no diário Oficial do dia 14 de abril .

A Lei é o resultado dos esforços e reivindicações do Fórum Permanente dos Servidores Públicos do Rio de Janeiro (Fosperj), entidade da qual a UPPE-Sindicato faz parte, juntamente com outras 70 instituições, entre sindicatos e associações de servidores, que se articulou com parlamentares na Alerj e acompanhou os desdobramentos, através das comissões e votações na plenária.

A medida representa um passo importante para reivindicações com o executivo acerca da recomposição salarial dos servidores públicos estaduais. O magistério público encontra-se há seis anos sem nenhuma recomposição salarial, algo que tem prejudicado a qualidade de vida dos educadores e a Educação como um todo, uma vez que a desvalorização salarial provoca o afastamento de jovens vocacionados à carreira docente.

A UPPE-Sindicato seguirá com suas ações em prol do professorado fluminense e da Educação do estado, a fim de garantir melhores condições de trabalho e remunerações dignas para a categoria.

EAD – Seeduc anuncia parceria com TVs abertas para videoaulas.

A UPPE-Sindicato segue acompanhando todas as medidas e anúncios da Secretaria de Estado de Educação acerca da Plataforma de Educação a Distância. Na semana passada, a presidente do sinidicato, Teresinha Machado da Silva, se reuniu com o secretário estadual de Educação, Pedro Fernandes, para esclarecer mais informações acerca do modelo.   (clique e saiba mais)

Em transmissão pelo Facebook (live), na tarde de hoje (13/04) o secretário estadual de Educação, Pedro Fernandes, ratificou os planos da Secretaria de Estado de Educação (Seeduc) no que diz respeito à plataforma de Ensino a Distância, implementada pela Seeduc em parceria com a Google.

O secretário destacou algumas novidades e atualizações em relação à utilização do ambiente virtual e à utilização de videoaulas através de parcerias com TVs públicas e privadas. Ele anunciou a parceria com as TVs: Band, Futura, TV Alerj e TV Brasil (EBC) para a transmissão diária de 2h de conteúdos produzidos pela Seeduc.

O chefe da Pasta anunciou que os educadores da rede poderão se voluntariar para a gravação dos conteúdos educativos a serem transmitidos aos alunos pelas plataformas de TV e internet.

Outro ponto ressaltado foi a criação do vale alimentação para os alunos de baixa renda cadastrados no programa Bolsa Família. Segundo ele, cada estudante receberá um cartão para fazer compras nos estabelecimentos cadastrados. A Seeduc também destinará cestas básicas para os estudantes que não estão cadastrados no programa. Os recursos serão encaminhados à Secretaria Estadual de Assistência Social.

Na live, Pedro Fernandes reafirmou que o ano letivo está mantido e que as atividades na plataforma digital contarão como carga horária e dias letivos. Professores e alunos receberão um chip para acessar a internet.