Reajuste Unimed

        Apesar de todos os esforços dos diretores da  UPPE-Sindicato, não conseguimos negociar o reajuste do plano de saúde da Unimed-Nova Friburgo em 10%, tampouco o percentual de 14%. Portanto, conforme exigido por eles, o reajuste será de 15,8%, retroativo ao mês de dezembro de 2018, por determinação contratual.

     Deixamos claro que estamos sendo compelidos a aceitar esse percentual, embora não fosse de nossa vontade. Na atual situação de atendimento do serviço público de saúde, consideramos necessário que todo professor tenha um bom plano de saúde.

6 tas
  1. Maria do Carmo Longo
    Maria do Carmo Longo says:

    Um absurdo esse aumento! Muito me entristece saber que o sindicato não tem como reagir a esse abuso! No meu caso, são R$190,00 a pagar a mais no mês de janeiro! E aumento de R$94,84 nos meses que seguem. Segundo informação da Unimed a razão do aumento deve-se exclusivamente à UPPES que dificulta sobremaneira a negociação.
    A assessoria jurídica do sindicato não tem como reverter essa situação?

    Responder
    • -
      - says:

      Estimada professora Maria do Carmo,
      Primeiramente, gostaríamos de agradecer o seu contato, que é fundamental para nos enriquecermos com os pensamentos e posicionamentos de nossos filiados.
      Lemos com a plena atenção o conteúdo de sua mensagem e agradecemos a oportunidade de podermos esclarecer que em nenhum momento nos posicionamos favoráveis a tal índice e temos lutado frente ao valor aplicado. A professora poderá verificar em nosso site dois ofícios expedidos pela Presidente para as direções respectivas da UNIMED e da CASE( Administradora do Plano – figura obrigatória por decisão o Governo Federal) nos quais fica claro o não reajuste do Magistério e a nossa preocupação e protesto em relação ao índice aplicado. Em nenhum momento dificultamos a negociação e se pudéssemos utilizar esta palavra “dificultar” ela seria no sentido de como nos opusemos veementemente a qualquer índice superior a um dígito; neste sentido, com certeza dificultamos contestando a aplicação de percentual maior.
      No mais, atestamos nossos votos de consideração e tenha, a estimada professora, a certeza de nosso posicionamento oficial, no qual continuamos a contestar o índice aplicado.

      Responder
  2. Rosângela Fernandes de Almeida
    Rosângela Fernandes de Almeida says:

    O problema não é o reajuste e sim a falta de aumento. Estamos sem aumento e nenhum reajuste a uns 4 anos; lamentável.

    Responder
    • -
      - says:

      Estimada professora Rosângela,

      Primeiramente, gostaríamos de agradecer o seu contato, que é fundamental para nos enriquecermos com os pensamentos e posicionamentos de nossos filiados.
      A estimada filiada está correta em sua apreciação no que diz respeito à falta de reajuste dos proventos. Tal fato se deve à absoluta falta de sensibilidade e de compromisso dos governantes que sempre “utilizam” o tema Educação em suas campanhas mas que, em sua quase maioria, nada fazem em favor da mesma, desrespeitando a Classe do Magistério com salários aviltantes! Nossa UPPES tem se posicionado de maneira firme (já solicitamos, oficialmente, em caráter imediato, reuniões com o Governador do Estado e com o Secretário Estadual de Educação para tratarmos da grave situação na qual se encontra o Magistério) e, mister se torna que os docentes se unam a nós fortalecendo ainda mais nosso Sindicato, posto a máxima ser verídica: “Categoria Unida, Sindicato Forte”!

      Outrossim, quanto ao reajuste ocorrido no Plano de Saúde, esclarecemos à prezada professora que temos atuado firmemente no propósito de que os índices não sejam elevados; em nosso site se encontram dois ofícios enviados pela nossa Presidente: um para a UNIMED e outro para a Administradora do Plano ( exigência do Governo Federal) onde contestamos o valor aplicado e reforçamos o grave quadro salarial no qual o professor público do Estado do Rio de Janeiro se encontra.
      No mais, sempre ao dispor.

      Responder
  3. JORZEIA DE SOUZA AMORIM
    JORZEIA DE SOUZA AMORIM says:

    Prezados.
    Aumento abusivo da UNIMED, 15.8% de aumento, sem aumento de salário e ainda cobrar a diferença do reajuste que não aconteceu em dezembro.
    Para completar o problema no consigo falar com o jurídico da UPPE, sou informada que estão em férias coletiva até dia 23.1.19.
    Pagamos um sindicato que não é barato, e quando precisamos não temos assistência devida.
    Hoje vence o meu plano de saúde e não vou pagar. Vou pagar em juízo.
    Abs
    Jorzeia Amorim

    .

    Responder
    • -
      - says:

      Estimada professora Jorzeia,
      Primeiramente, gostaríamos de agradecer o seu contato, que é fundamental para nos enriquecermos com os pensamentos e posicionamentos de nossos filiados.
      Lemos com todo respeito e atenção o conteúdo do comentário, em nosso site, enviado pela senhora, cujas ponderações serão esclarecidas abaixo:

      1. Anualmente, como de conhecimento da senhora, ocorrem reajustes em todos os Planos de Saúde. Temos, recorrentemente, negociado todos os anos, no mês de dezembro, o valor deste reajuste e com muita veemência temos nos posicionado em defesa do menor índice possível. Em nosso site, inclusive, a estimada professora pode ter pleno acesso aos dois ofícios enviados pela nossa Presidente tanto para a UNIMED como para a CASE – Administradora do Plano (imposição feita pela ANS – Associação Nacional de Saúde) nos quais deixa clara a nossa ABSOLUTA INSATISFAÇÃO com o índice de reajuste tendo em vista que, em todos os momentos, solicitamos que o mesmo jamais deveria exceder a um dígito;

      2. Quanto às férias coletivas, por decisão da Diretoria e ouvindo as diversas instâncias inerentes a esta decisão, considerou-se por bem aproveitarmos o período das festas de final de ano (período que, no geral, todas as instâncias externas paralisam suas atividades) para, assim, termos nossa UPPES aberta todo o restante do ano a fim de atendermos, com todo carinho e profissionalismo, nossos filiados, que tanto merecem e que para nós é um enorme prazer estarmos sempre à disposição;

      3. No que diz respeito ao valor descontado do filiado, este se traduz num percentual do provento e temos tido todo cuidado para não se constituir num valor que muito pese , sem perder a qualidade de nossas atividades,embora os custos naturais de manutenção da instituição tenham aumentado bastante.

      No mais, aqui estamos ao inteiro dispor da prezada professora e reafirmamos nossa permanente luta em prol de nossa tão importante Categoria.

      Responder

Trackbacks & Pingbacks

Comente aqui

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *