Coed

UPPE-Sindicato participa das etapas intermunicipais do III Congresso Estadual de Educação- III COED

    Nos dias 30 de novembro, 01 e 02 de dezembro de 2018, foram realizadas as etapas intermunicipais do III Congresso Estadual de Educação- III COED, contemplando os 92 municípios distribuídos em 12 polos, seguindo a divisão das Diretorias Regionais. Nesta etapa, foram discutidas as metas e estratégias do Plano Estadual de Educação, desde a educação infantil ao ensino superior, de forma democrática e participativa, constituindo uma política efetiva de educação para o Estado do Rio de Janeiro e foram eleitos os delegados que participarão da etapa estadual, que acontecerá em abril de  2019. A UPPE-Sindicato participou das discussões em relação às metas para a educação estadual. O sindicato contou com representações nas regiões Litorânea, Serrana e Norte-Fluminense.

 Representação da UPPE-Sindicato, nas etapas intermunicipais:

Litorânea – diretora Neuza Caldas Maia e professora Luciane Azevedo

Serrana – diretora Annita Ferro da Cunha Lima e professora Luiza Helena Cano Pereira

Norte-Fluminense – professora Isabela Henriques e professora Gisella Rangel

      O  III COED tem por objetivo adequar/elaborar o Plano Estadual de Educação – PEE (Lei n° 5.559/2009), em consonância com o Plano Nacional de Educação – PNE (Lei n° 13.005/2014), sendo um espaço de ampla participação da sociedade através do poder público e dos setores e segmentos que atuam na área da educação em todo território do Estado do Rio de Janeiro. O Plano Estadual de Educação terá vigência até 2024.

 

Dia do Orientador

4 de dezembro – Dia do Orientador Educacional

dIA DO oRIENTADOR

A importância do Orientador Educacional

Teresinha Oliveira Machado da Silva – Presidente

      Na educação,  o aspecto emocional do aluno  influi muito na questão cognitiva e cabe ao orientador educacional mediar essas ações, a fim de que  não haja influência no aprendizado. É importante enfatizarmos a importância da equipe multidisciplinar nas unidades escolares, onde o orientador educacional fará uma ponte entre o professor e o aluno , buscando compreendê-lo junto aos pais e à escola, para que haja a efetivação do processo educacional como um todo.

     Sabemos que o ser humano é um ser complexo e cabe ao orientador educacional o papel de compreender e dialogar com a equipe multidisciplinar, composta por: psicólogos, pedagogos e demais profissionais. Todas as escolas deveriam ter vários orientadores, não apenas um, para cumprir a legislação. Afinal, trata-se da excelência do ensino de crianças e jovens.

    Parabenizamos  todos os orientadores pelo dia de hoje!

 

infoo

Publicada no Diário Oficial mais uma listagem de professores concursados convocados pela Seeduc

    Foi publicada no Diário Oficial, desta sexta-feira (23/11), pela Secretaria de Estado de Educação (Seeduc), mais uma convocação de professores concursados.

  A reivindicação para a convocação e nomeação de professores concursados tem sido um pleito permanente da UPPE-Sindicato. A entidade tem acompanhado a devida nomeação desses educadores, a fim de que a lei seja cumprida e a carência da Rede Estadual de Ensino seja suprida.

Clique aqui e confira listagem completa

DSC_0379

Alerj: UPPES participa de audiência pública sobre implantação de turno único na rede estadual de ensino

DSC_0379A implementação do turno único na rede estadual de ensino foi tema de audiência pública da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), projeto de lei 114/2015, na última quarta-feira (14/11). Representando a UPPE-Sindicato, a professora Luciane Azevedo, destacou a importância da implantação adequada da modalidade de ensino. Segundo ela, a educação aplicada de forma integral vai muito além do tempo ampliado de permanência do aluno na escola. “Ainda que exista uma meta no Plano Nacional de Educação (PNE), a meta seis, que trata sobre o tema, se enxerga a educação integral em uma perspectiva para além do tempo ampliado, tendo em vista a garantia do desenvolvimento integral das crianças, adolescentes e jovens. É possível verificar que a educação integral dialoga com todas as metas do PNE”, afirmou.

      Outro ponto destacado pela educadora, diz respeito à carga horária e à infraestrutura para o pleno desenvolvimento do ensino e atuação do professor. “A carga horária docente para esse modelo, a infraestrutura das escolas e a formação dos profissionais são necessárias, a fim de que esses alunos recebam uma educação de qualidade com profissionais capacitados. O ensino integral requer muito mais do que apenas as atividades pedagógicas que são oferecidas em turno comum, tendo em vista a formação cognitiva e afetiva desses alunos que passarão tanto tempo em sala de aula”, frisou.

      O Projeto de Lei, determina que o turno único seria implantado gradativamente. A cada ano, 10% da rede adotaria o sistema, completando 100% em uma década. As escolas situadas em áreas de baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) teriam prioridade na mudança.

        O texto foi aprovado em segunda discussão pela Alerj, mas recebeu uma emenda parlamentar. Na emenda, foi incluído que escolas com turno único ofereçam componentes curriculares relacionados à arte, educação física, sociologia e filosofia. Os deputados da Comissão de Educação se comprometeram a propor novas emendas ao texto para que o mesmo seja submetido à votação em plenária.

       Presidida pelo deputado Waldeck Carneiro, a audiência contou com a participação do deputado  Jorge Felipe Neto, autor do Projeto de Lei, além dos deputados Dr. Julianelli, Flávio Serafini e Eliomar Coelho.